Se hoje fosse teu último dia, qual conclusão tu chegaria sobre tua vida?

Se hoje fosse teu último dia, qual conclusão tu chegaria sobre tua vida?

Teu gosto músical não é necessário para ler esse texto, mas sim teu senso crítico.

 

If today was your last day – Nickelback

“Meu melhor amigo me deu o melhor conselho
Ele disse “cada dia é um presente e não um direito adquirido”
Deixe nenhuma pedra sem mexer
Deixe teus medos para trás
E tente ir pelo caminho pelo menos percorrido pois
Aquele primeiro passo que tu dá é a mais longa caminhada

Se hoje fosse teu ultimo dia, e amanhã fosse muito tarde
Tu poderia dizer “adeus” para teu passado?
Tu viveria cada momento como ultimo?
Deixaria as lembranças para trás?
Doaria cada centavo que tu tem?
Se hoje fosse teu ultimo dia

Na contramão deveria ser o estilo de vida
O que vale o preço é sempre lutar pelo que vale a pena
Todo segundo conta pois
Não existe segunda chance
Então viva como se tu nunca tivesse uma segunda chance
Não vá de corona em tua própria vida

Se hoje fosse teu ultimo dia, e amanhã fosse muito tarde
Tu poderia dizer “adeus” para teu passado?
Tu viveria cada momento como ultimo?
Deixaria as lembranças para trás?
Doaria cada centavo que tu tem?

Se hoje fosse teu ultimo dia
Tu ligaria para aqueles amigos que tu nunca vê?
Relembraria velhas memórias?
Tu perdoaria teus inimigos?
Tu encontraria aquela(aquele) de teus sonhos?
Te curvaria diante de Deus e juraria
Que finalmente está apaixonado?
Se hoje fosse teu último

Tu conseguiria seguir após curar um coração partido?
Sabe, nunca é tão tarde
Para buscar as estrelas
Independente de quem tu é
Então, faça o que for preciso
Pois tu não pode voltar
Um momento desta vida

Deixe nada [te atrapalhar] em teu caminho
Pois as mãos do tempo nunca estão ao teu lado”

Considero-me um cara com gosto eclético para música, mas o que gosto mesmo é analisar e entender a mensagem das músicas que escuto. Salvaguardadas as preferências musicais da cada um, fiquei escutando por horas a fio a música acima, pensando em cada uma das perguntas, analisando cada afirmação e buscando…

Bem eu tenho minhas buscas, minhas neuroses, meus feridas abertas, meus pulsos abertos e um monte de vontades. Em uma sociedade onde pouco se pensa a médio prazo e menos ainda quando o assunto é longo prazo, uma pergunta ecoou na mente: estou realmente evoluindo como ser humano e como pessoa?

[Mal-]Acostumados ao dinamismo nessa constante, e porque não dizer “louca” evolução da tecnologia, onde acesso a informação ficou mais fácil e o contato com as pessoas ficou mais rápido é difícil pararmos e analisar questões como deixar o passado pra trás, manter contato REAL – não virtual – com os amigos menos chegados, admitir o medo de um bocado de coisas e ainda assim “vai dar conta”, não se acovardar ante a uma decisão que venha te devorar por dentro – sim, estou falando daquela decisão RACIONAL, com base em fatos e acontecimentos que vai contra ao que sonhamos (ou convenientemente nos iludimos).

Entretanto, destaco uma parte em especial da música: Não vá de corona em tua própria vida. Tu já parou pra pensar quantas pessoas vivem assim e nem fazem idéia? Tu já parou pra pensar nas vezes tu deixou “a vida te levar?”. Sim, estou falando daquele projeto que tu pensou em fazer e não saiu do papel e tu, inteligentemente, arrumou vinte e nove desculpas diferentes pra justificar uma mentira que tu contou pra ti mesmo. Sim, eu digo “mentira” – nesse caso – porque há muito tempo atrás aprendi que “desculpa” é tirar a culpa própria e jogar em alguém ou alguma coisa. Não sou nem perto modelo pra ninguém, vira e mexe descubro que estou mentindo pra mim pelo simples fato de não querer encarar alguns fatos, mas fico contente por ter o senso crítico de analisar como anda minha visão (e ação) de vida, pois vejo que em todos os ambientes (financeiro, espiritual, físico, profissional, social, familiar e sentimental) tenho uma ação… Às vezes acerto em minhas decisões e colho ótimos frutos, assim como às vezes erro e sofro; porém isso faz parte da vida, mas a diferença é que tanto a vitória ou a derrota foram consequências da minha ação. Não sou do tipo que culpa o destino porque tenho um colega de trabalho que é chato pra caralho ou porque em algum momento da minha vida me apaixonei pela guria errada, mas não concordo com frases do tipo: “o que é pra ser seu será”. O que é pra ser seu será desde que tu faça alguma coisa.

Escutei em um estudo sobre masculinidade que esta – a masculinidade – é uma ação. Tudo depende de ação. Crescer, aprender, tirar nota máxima em uma prova, trabalhar, ganhar mais, trocar de carro, perder o pênalti e fazer aquele comentário pra tua esposa que não tu não deveria ter feito. Já faz tempo que não acredito em papai noel muito menos em coelhinho da páscoa.

Ação… essa é o tema principal da música. Se hoje fosse teu último dia, tu estaria com tua consciência tranquila? Tu foi o melhor profissional que tu pode? Tu trabalhou com aquilo que deva tesão? Tu jogou bola com a gurizada da rua ao lado? Tu teve paciência pra ajudar tua mãe a entrar no youtube pra procurar vídeo de “ponto-cruz”? Tu ficou jogando “angry bird” ontem na aula de… (do que era aquela aula mesmo ontem na faculdade)?

Se hoje fosse teu último dia, qual conclusão tu chegaria sobre tua vida?

Artigo escrito pelo contribuinte André Luis.

2 Comentários

  1. André 23 de April de 2013
    Responder

    rsr, Tenso, aposto que 99,9% das pessoas se parassem pra pensar, ficariam em muito devendo pra se mesmo… isso me inclui….. o mais legal que deve ser ótimo pra você publicar esses textos, porque além de eles acabam sendo um desabafo pra você, Parabéns André!

  2. Olhos Verdes 19 de July de 2013
    Responder

    Parabéns…

COMENTÁRIOS VIA FACEBOOKk



Faça um comentário