Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

FUNK DA EDUCAÇÃO SEXUAL

IMG_0162

Vivemos em um mundo em que os adolescentes começam suas vidas sexuais cada vez mais cedo. A sexualidade é despertada de maneira bastante aflorada bem antes dos 15 anos, estimulada em muitos casos pelos excessos a que todos temos contato nas redes sociais e pela própria cultura musical dominante no país: o funk é, invariavelmente, top 5 nas paradas musicais. É como afirma o cancioneiro popular Mc Kevinho: “Cê acredita? Cê acredita? Essa novinha é terrorista, é especialista. Olha o que ela faz no baile funk com as amiga”.

Por isso, gostaria de sugerir que IBGE inclua no próximo CENSO uma importante pergunta, que deveria despertar o interesse de alguns sexólogos e estudiosos preocupados com a saúde pública no Brasil: com qual idade você iniciou sua vida sexual? Aposto que a média de idade dos respondentes cairia ano após ano.

E o que isso nos diz?

Diz que temos que abrir os olhos pra essa nova realidade e o mais importante de tudo isso é não tampar o sol com a peneira. A educação sexual e a distribuição de métodos contraceptivos são extremamente importantes desde o início da adolescência. Campanhas de conscientização também. E não só durante o carnaval, até porque a gente adora um “fora de época”. Não enxergar que os jovens estão começando a fazer sexo cada vez mais cedo é a pior forma de cegueira.

E analisando friamente, é nessa hora que fico inclinado a concordar com o grande compositor Dennis DJ quando ele se dispõe a explicar do que o brasileiro mais gosta: “Mulher gostosa como ninguém, cerveja gelada e churrasco também. Tem várias pra beijar pra fazer o vai-e-vém” (trecho do grande hit Favela).

Para finalizar, gostaria que todos entendessem que iniciar a vida sexual cedo não é um crime (guardadas as devidas proporções, precauções e consentimentos). É preciso atentarmos que as novinhas e os novinhos estão tocando o terror mais cedo que nossa geração e que a inocência e a ingenuidade dos mesmos podem gerar frutos indesejados como DSTs, filhos sem planejamento, etc. Eles chegarão aos 20 com a experiência que adquirimos aos 30 ou 40 anos e nada nem ninguém conseguirá impedi-los disto, muito menos de ouvir esse funk apologia ao sexo.

Façamos nossa parte educando-os sobre o certo porque sobre o errado são eles que darão aula para nós.

Escrito por Dr. Love

Consultor amoroso, autor do livro Melhores Técnicas do Amor (disponível na página do Machos de Respeito no Facebook) e colunista do Segunda Opinião neste blog, onde descreve suas desventuras romântico-sexuais toda 2a-feira. Outras qualidades? Corinthiano roxo, heterossexual praticante e amante de um bom...basquete.

187 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *