Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Experiência não traz maturidade (e vice-versa)

Experiência não se cria. É preciso passar por ela.

Velhice 2

Temos uma enorme tendência a confundir experiência com maturidade e, apesar de ambas estarem relacionadas à maneira como vivemos nossas vidas, é preciso saber diferenciá-las no tempo: uma tem mais a ver com a intensidade dos momentos vividos, outra mais a ver com a sabedoria mental e emocional adquirida ao longo de nossas existências. Ou seja, viver a vida intensamente pode te trazer uma vasta experiência com pouca idade, mas talvez te afaste da maturidade precoce. Por outro lado, dificuldades que você enfrenta ao longo dos anos podem te forçar a criar um senso de responsabilidade que muitos adultos bem mais velhos estão longe de possuir.

Para mim, um ponto nessa discussão é muito importante: não generalizar. Nem todo mundo que gosta de xadrez e bocha é velho e maduro, assim como nem todo mundo que adora festanças e furdunços é jovem e imaturo. Existe muita gente por aí que consegue conciliar uma “vidinha de balada” com atitudes e decisões de vida mais conscientes que vários pais de família que nunca caíram na gandaia. Eu quero é me cercar de gente que sabe separar o momento de beber e dar risada com os amigos da hora de falar sério sobre carreira, finanças e futuro.

Já conheci gente de 20 e poucos anos que tem o poder de agregar muito na vida de qualquer quarentão mimadinho que sempre viveu na barra de saia da mamãe. Também já conheci gente 10 anos mais velha que eu que ficava impressionada com a quantidade de vida que acumulei em meus 30 anos. Sua idade não significa nada além de um número se você não fez bom uso das primaveras pelas quais já passou. A vida não é nada mais que uma continuidade de dias iguais aos outros e cabe a você tomar diariamente um chá de atitude para mudar seu rumo.

Portanto, você não deveria achar que só porque seu chefe tem 60 anos, ele é muito mais sábio e maduro que você. Tenha você 20, 30 ou 40, se você é capaz de assimilar seus erros, corrigir seus atos falhos e se preocupa legitimamente em ser uma pessoa melhor dia após dia, não há ninguém que consiga te comparar a ninguém. A única pessoa que você deve tentar ser melhor é a pessoa que você foi ontem.

Tampouco você deveria se chocar ao descobrir que aquele 30tão bonitão que você conheceu no bar não é capaz de manter 10 minutos de conversa contigo, nem se surpreender quando uma novinha encantadora te der um nó na mente e na cama mesmo com apenas 19 aninhos. A qualidade de suas experiências diz muito mais a respeito de quem você é do que a quantidade de dias vividos.

Afinal, a química entre dois adultos não se explica por idade, gênero, cor, credo ou classe social. É questão do santo bater. É saber aproveitar a combustão de sentimentos e ser feliz pelo tempo em que a chama durar.

Escrito por Dr. Love

Consultor amoroso, autor do livro Melhores Técnicas do Amor (disponível na página do Machos de Respeito no Facebook) e colunista do Segunda Opinião neste blog, onde descreve suas desventuras romântico-sexuais toda 2a-feira. Outras qualidades? Corinthiano roxo, heterossexual praticante e amante de um bom...basquete.

187 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *