Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

A NEOMASCULINIDADE E OS NEOMASCULINOS

-Porque homens fogem cada vez mais de relacionamentos sérios.

neomasculino

Com as mudanças que o feminismo trouxe ao comportamento das mulheres (muitos deles, positivos) o homem enquanto figura masculina e “dominante” se vê obrigado a se adequar ao novo rol de exigências e expectativas das mulheres do seu tempo. A imagem do homem provedor, protetor e trabalhador não causa mais o efeito positivo da geração de nossos avós. Este homem hoje, é considerado machista.

Os homens estão confusos.

N.E.: A seguir, farei algumas generalizações que tenho certeza que serão compreendidas.

Para ter sucesso (ou ser considerado bem-sucedido) o homem contemporâneo sente a necessidade de adequar o seu comportamento e estilo de vida no sentido de reencontrar e reafirmar o seu papel masculino na sociedade, aparecendo assim o “Neomasculino”. O novo conceito do que representa ser homem.

Como já tratei no texto “PORQUE AS NOVINHAS PREFEREM OS TIOZÕES”, nas últimas décadas assistimos à alteração do que as mulheres veem como “Valor Sexual de Mercado” nos homens, passando a dar menos importância para atributos como honestidade, caráter, provisão de recursos e trabalho, e mais valor à estética (explicando porque dieta, disciplina de treinos e musculação estão mais populares do que nunca entre os homens), formas de abordagens (explicando porque cursos de sedução no estilo pick-up artist estão mais populares do que nunca entre os homens), auto aperfeiçoamento pessoal e profissional (ok, isso sempre existiu) e por fim, um alinhamento de comportamento intelectual racionalizado que não compactue com o que as mulheres consideram sexista e/ou misógino. Fatores que aumentam o “Valor Sexual de Mercado” perante as mulheres e facilitam a atração.

A influência que a Neomasculinidade exerce nas relações começa na liberação do homem como provedor de recursos, uma vez que as mulheres de hoje possuem suas próprias carreiras e desfrutam de liberdades muito parecidas com as liberdades dos homens, sem a intenção de casarem e terem filhos já aos 20 anos. Assim, os neomasculinos se veem na obrigação de sofisticarem seus métodos para atrair mulheres que não procuram mais por estabilidade financeira, nem posição social (ou ao menos, não dão a isso a importância que suas avós davam), que preferem usufruir da sua liberdade e apetite sexual da juventude ao invés de casarem cedo.

Assim, os homens passaram a perceber que também passaram a ter mais liberdade para cuidar da própria vida e individualidade que, sem uma família para sustentar, puderam adquirir mais recursos, se aperfeiçoar e terem mais autoconfiança gerada do estilo de “vida de solteiro” e enfim, a Neomasculinidade encontrou o seu lugar no mundo. Os homens podem agora cuidar mais da sua aparência, ter mais tempo para se dedicar a atividades diversas e serem socialmente mais ativos. Conhecendo essa liberdade com maior maturidade (mais idade), tendo recursos (tempo e dinheiro), um casamento acaba se tornando uma ideia remota, sem sentido e talvez até ridícula.

Além da possibilidade de não estar preso à alguém, em uma relação formal, os homens também tomaram para si a oportunidade de escolherem estar com pessoas que não ameacem a sua autoconfiança, pois não sentem a urgência de casar e ter filhos que as gerações passadas sentiam. Graças à liberdade alcançada (e aplicada) pelas mulheres, um homem solteiro de 35 anos, sem filhos, não é mais mal visto pela sociedade como era antes. E assim, para estes homens, os relacionamentos acabaram se tornando (ainda mais) efêmeros, podendo ser dado um fim e “partir para outra” ao menor sinal de ataque à sua autoconfiança.

Em suma, a Neomasculinidade trouxe danos negativos às relações entre casais de uma forma geral, em uma busca dos homens por reencontrar-se, redefinir seu papel e o mais importante, conseguir manter a sua autoestima e respeito próprio, considerando a obsolescência da masculinidade tradicional.

Ou seja, uma reafirmação do que é, hoje, ser homem.

 

 

*Este texto é uma reanálise dos conceitos do jornalista inglês Paul Joseph Watson acerca do tema.

**Texto sugerido.

*** Ao som de Helhorse.

Escrito por Herr Brandt

Um Ted Mosby, disfarçado de Barney Stinson.

54 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *